Express Medical

Conheça nossa loja Online: www.expressmedicalstore.com.br

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Pé Diabético - ao menor sinal de problema, procure o médico

* Matéria extraída do Portal Diabetes

A diabetes tem uma relação muito grande com os vasos, e as artérias e os nervos periféricos. As pessoas com diabetes, têm de dois a quatro vezes mais risco de ataques cardíacos. Além disso, dois terços dos pacientes diabéticos são hipertensos. Aproximadamente 5% da população diabética masculina sofrem de doenças vasculares periféricas. Entre as mulheres, a prevalência é de 2,5%.

Entre as pessoas com diabetes, o número de amputações é sete vezes maior do que entre os não diabéticos.

O diabetes é a causa de 50% das amputações de origem não traumáticas sem ser por acidentes. Os sinais de falta de circulação nos dedos dos pés começam deixando as unhas e dedos roxos em dias de frio, todos os pacientes com diabetes deveriam ter seus pés auto-examinados, e qualquer dúvida mostrarem ao médico. Existe um estudo em que mostram que os médicos, não têm o hábito de pedir para seus pacientes diabéticos tirarem os sapatos e as meias.

Os diabéticos em geral que tem dores na caminhada, comuns em pessoas com doença cardiovascular periférica, podem também sofrerem de problemas da coluna vertebral. Sempre que houver essa dúvida, com alterações da cor da pele, do calor local, com o pé ficando frio e úmido deve-se procurar o médico, pois pode ocorrer a doença isquêmica do diabético.

Para as pessoas com diabetes, o pé merece uma atenção especial. Como são vulneráveis a ferimentos, é preciso examiná-los todos os dias. Esse deve ser um hábito, principalmente para aqueles que sofrem de neuropatia. Essa vigilância é necessária porque, surgem um calo nos pés, mesmo sem sentir dor, quando se usam sapatos. Assim, a inspeção será baseada na procura de úlceras, calos ou qualquer outro problema visível. É possível prevenir as infecções nos pés. Manter um bom fluxo sangüíneo, é também outro aspecto importante. Para isso, tomem medidas que baixem a pressão alta e os níveis de colesterol.

É importante também fazer caminhadas com regularidade, ou outro tipo de exercício físico. Vícios como o fumo devem ser evitados. Só para se ter uma idéia, 95% de todas as amputações do pé acontecem em fumantes. Contudo, não significa que a pessoa não possa continuar levando uma vida normal. Nem mesmo de caminhar ela fica impossibilitada. O cirurgião removerá o mínimo possível do membro, para facilitar o processo. Após a cicatrização, será colocada uma prótese. Atualmente, os membros protéticos são mais leves e confortáveis, do que os modelos do passado. Alguns possuem molas, que até permitem que a pessoa corra e pule.

Úlceras do Pé - uma área machucada ou infeccionada na base do pé, pode desenvolver uma úlcera. Seu aparecimento é mais provável quando a circulação é deficiente, e os níveis de glicemia são mal controlados. Se descobrir que tem úlcera no pé, não deixe para o dia seguinte sua visita ao médico. As camadas de pele são gradativamente destruídas pela infecção criando um buraco, quando a úlcera não é devidamente tratada.

Link da matéria: http://www.portaldiabetes.com.br/conteudocompleto.asp?IDConteudo=598

Nenhum comentário:

Postar um comentário